Skip to main content

Jogo Responsável

Aqui no Confiavel.com, estamos comprometidos com o jogo responsável, que é a boa prática de apostas. Se tratam de princípios para tornar o jogo algo divertido e saudável, a fim de evitar problemas na vida do apostador. Tais medidas também devem ser adotadas pelas melhores casas de apostas, que possuem maior controle sobre os hábitos dos usuários.

Basicamente, os conceitos são os seguintes:

  • Prevenir o acesso de menores de idade ao jogo
  • Evitar o vício em apostar, por meio de boas práticas
  • Prevenir que os usuários caiam em golpes e fraudes, assim como combater a lavagem de dinheiro.

Quando o jogo se torna um problema

Nem sempre um apostador compulsivo se dá conta de sua situação. Sabemos que, diariamente, vários pessoas fazem uma fezinha nas loterias, criam bolões com amigos, jogam cartas no final de semana ou se divertem com videogames. Nem todos desenvolvem problemas de vício.

O que caracteriza uma dificuldade de se desvincular do ciclo de apostas é a dificuldade de estabelecer o limite de tempo e dinheiro gasto. Quando o hábito extrapola tais limites, causa efeitos negativos, não apenas na vida do jogador, mas também de seus familiares e pessoas a seu redor.

Há certos indicadores que exemplificam situações em que o jogo pode se tornar um problema:

  • tentativa sem sucesso de controlar impulsos e percepção do impacto negativo do hábito de jogos em algumas áreas da vida pessoal
  • gastar mais do que havia previsto
  • passar mais tempo jogando do que o planejado, ou deixar de estar com a família e amigos para priorizar as apostas
  • mau humor e irritabilidade, especialmente em caso de perdas
  • dificuldade em se concentrar no trabalho e estudos
  • endividamento em razão do jogo

Destacamos aqui, um documentário feito pela TV UNIESP, com jogadores compulsivos. A reportagem mostra as consequências da patologia na vida dos apostadores com problemas de jogo. Também exibe a opinião de um psiquiatra, que menciona o fato de que compulsivos sentem dificuldade em buscar ajuda a respeito de sua dependência. Afirma ainda que há tratamento e recuperação para casos de vício.

Boas práticas para tornar o jogo uma forma saudável de prazer

Tentar manter o jogo sob controle é uma prioridade para um jogador responsável. Por isso, temos sugestões de como jogar conscientemente para evitar o vício.

  1. Não jogue caso esteja se sentindo depressivo, entediado, tenso ou solitário.
  2. Não minta para seus amigos e familiares sobre os custos de seu hábito.
  3. Não continue jogando com a finalidade de recuperar perdas.
  4. Estabeleça um limite de tempo e pare de jogar quando alcançá-lo.
  5. Jogar deve ser algo divertido, não uma maneira de obter uma renda.
  6. Entenda que o jogo não é uma solução para seus problemas.
  7. Não peça dinheiro emprestado para aumentar sua banca.
  8. Não aposte dinheiro que não pode ser perdido.
  9. Não tenha receio de pedir ajuda, caso perceba que está jogando mais do que deveria.
  10. Saiba quais são as probabilidades reais de vencer. Consulte o RTP, taxa de retorno ao jogador, disponível nos sites de cassino e apostas

Onde procurar ajuda

  • PROAMJO – Programa Ambulatorial do Hospital das Clínicas de São Paulo, focado no jogo patológico

Email de contato: [email protected]

Telefones: (11) 2307-78052 e (11) 2661-7805

  • PROAD –  Programa de atendimento e orientação a dependentes, da UNIFESP

Email de contato: [email protected]

Telefones: (11) 94147-0763 e (11) 5579-1543

  • Santa Casa do Rio de Janeiro

Rua Santa Luzia, 206 – Centro – Rio de Janeiro – RJ

Telefone:(21) 2533-0118

  • Site Virando o Jogo, desenvolvido pela Faculdade de Medicina da USP

http://viraojogo.org.br/portal/

  • Auto-avaliação no site da Caixa, conforme padrões internacionais para avaliação de transtornos patológicos

http://www.caixa.gov.br/jogo-responsavel/Paginas/default.aspx