Skip to main content

Melhores Bitcoin Exchange no Brasil

Depois da explosão na valorização das criptomoedas, no fim de 2017, não dá mais para falar que o Bitcoin é uma surpresa. E mesmo com uma queda desde lá, é importante pelo menos pensar em moedas virtuais e ter uma Bitcoin Exchange no gatilho.

Ter uma corretora Bitcoin confiável permite que você invista em ativos, que podem ter grande recompensa, com segurança e de forma fácil, sem sair de casa. E nós vamos te ajudar, selecionando as melhores carteiras Bitcoin, ensinar como investir em Bitcoin e te deixar na cara do gol.

Top Exchange Bitcoin confiáveis e seguras

Site Bônus Saiba Mais
eToro é confiável? eToro é confiável? $100.000 virtual ACESSAR
XM FOREX é confiável? XM FOREX é confiável? 30$
bônus sem depósito
ACESSAR
Binance é confiável? Binance é confiável? ACESSAR
Olymp Trade é confiável? Olymp Trade é confiável? $10.000 em moeda virtual ACESSAR
IQ Option é confiável? IQ Option é confiável? $10.000 virtual ACESSAR

Binance

Uma das Bitcoin Exchange mais famosas que existem, a Binance tem como grande ponto positivo a variedade de criptomoedas que há em seu sistema. Esse mundo com certeza não se resume só a Bitcoin e as concorrentes podem ter imensas oportunidades de valorização.

eToro

Muito bem credenciada, a eToro é confiável e mostra atenção com os clientes brasileiros em um site inteiramente traduzido. A possibilidade de pagamentos por diversos métodos, o bom aplicativo para celular e a conta demo com ótimos recursos coloca a empresa no patamar das melhores.

XM

A XM é uma das Bitcoin Exchange mais famosas que existem. Com mais de um milhão de clientes, presença na mídia com publicidade e vários prêmios na indústria, ela é presença garantida em uma lista que analisa corretora Bitcoin.

Olymp Trade

Com certificado da Comissão Financeira Internacional e prêmios na indústria, a Olymp Trade é confiável. O fato de ter um bom bônus de boas-vindas e uma plataforma que ajuda bastante os novatos a coloca nesta lista sem dúvidas.

IQ Option

A segurança da IQ Option é um ponto bastante positivo. Sua plataforma simples de usar, o bom aplicativo móvel para quem quiser negociar de qualquer lugar e a conta grátis também são razões para colocar essa Bitcoin Exchange nesta lista.

Como comprar Bitcoin

app wallet bitcoin exchange

A resposta para como investir em criptomoeda não é das mais fáceis, já que não estamos falando de uma ida ao banco que resolve tudo ou ir atrás de informação no site do Tesouro, como é o caso do Tesouro Direto. Mas, você vai ver que é bastante simples comprar criptomoeda e criar carteira Bitcoin caso assim seja desejado.

O primeiro passo é se informar. Nós ajudamos nessa parte, com análises bastante criteriosas sobre Bitcoin Exchanges. Infelizmente, na internet, há muitos sites, plataformas e iniciativas que não são confiáveis ou seguras. Por isso nós primeiro focamos nesses tópicos.

  • Ela cuida bem de seu dinheiro?
  • E de seus dados?
  • Ela tem credibilidade?

Essas são todas perguntas que visamos focar e assim escolher as melhores plataformas para comprar Bitcoin.

A melhor carteira Bitcoin, no caso, fica para sua escolha, dependendo do que você mais valoriza. É prêmios na indústria? Um site 100% em português? Uma plataforma simplificada? Depois de você fazer sua escolha, o processo fica simples. Você será redirecionado para o site, criará uma conta, com alguns dados pessoais e seu método de depósito favorito para ter saldo na conta.

Algumas das BTC bolsas citadas neste texto permitem a criação de uma conta demo, que terá dinheiro fictício para você fazer suas movimentações. Isso serve para aprender como funciona o sistema e sentir um pouco o ritmo, mas o interessante mesmo é poder comprar Bitcoin ou outra criptomoeda e depois ter os ganhos com sua venda.

Comprar Bitcoin também é muito fácil. É só você selecionar essa moeda virtual, analisar os gráficos disponibilizados, que são de grande ajuda e estabelecer sua posição. Em alguma dessas plataformas, você pode fazer sua compra e ainda colocar automaticamente para vender quando chegar a uma posição X, seja de ganho ou perda. Assim, caso você não esteja conectado, o sistema faz a operação por você.

CFD Bitcoin

Interface do sistema Binance Exchange para compra e venda de moedas

A popularização das Bitcoin Exchange e das criptomoedas em si também foi trazendo mais produtos ao mercado. Um dos exemplos é a possibilidade de fazer um CFD Bitcoin.

O que é isso, você deve estar se perguntando. A sigla significa Contratos por Diferença e eles já são bastante usados com produtos de investimento mais tradicionais, como commodities ou moedas.

Com um CFD, você não tem uma parte em uma empresa ou produto, como uma ação de uma empresa, por exemplo. Ou adaptando, como um Bitcoin em uma carteira digital. Nessa modalidade, você está tomando uma posição, no caso, se o Bitcoin vai valorizar ou não.

O CFD Bitcoin é muito procurado porque é ideal para o curto prazo e te tira a preocupação de, por exemplo, ter que reforçar a segurança de sua carteira contra ataques hackers, algo que infelizmente ainda acontece.

Além disso, essas movimentações funcionam diretamente com dinheiro, ajudando na liquidação no momento da compra e venda e permitem que pessoas sem tanto poder aquisitivo possam comprar ativos.

Investir em Bitcoin é seguro?

A palavra segurança sempre precisa acompanhar uma análise que envolve Bitcoin e outras criptomoedas. Como dissemos acima, ataques de hackers e vazamentos acontecem e sua Bitcoin Exchange precisa investir pesado em proteção.

Dito isso, quais cuidados você deve tomar? Primeiro de tudo, encontrar uma corretora Bitcoin que claramente se importe com essa segurança e que não faça promessas que não pode cumprir – como garantir ganhos.

E segundo, investir também na segurança de seu computador, impedindo a ação de malwares. Partindo para o lado mais financeiro, investir em Bitcoin carrega um risco, como qualquer outro investimento em renda variável. O mesmo acima pode ser dito sobre investir em ações.

Por não serem reguladas, as criptomoedas estão ainda mais expostas aos humores do mercado, o que tem dois lados: o negativo, já que quedas podem ser maiores e perdas idem. E positivo, já que a valorização pode ser muito grande em um curto espaço de tempo, mais do que qualquer investimento em renda fixa ou até variável pode oferecer.

Por isso, o conselho mais óbvio: é interessante sim comprar Bitcoin e outras criptomoedas sérias (Ethereum, Litecoin, etc), mas é importante ir com cuidado. Crie uma carteira de investimentos bastante diversificada, com opções mais seguras e uma criptomoeda para puxar a fila de ganhos altos.

Nunca fique em posição de extremo risco com Bitcoin ou qualquer outra moeda, como vender um carro ou casa para negociar nesses mercados. E nunca confie em empresas que prometem o mundo e não são seguras ou confiáveis para lidar com suas informações e investimentos.

Vale a pena investir em Bitcoin?

O vídeo abaixo explica de forma resumida e simples, como funciona o investimento de Bitcoin e quais são os seus riscos.

Note que isso é uma pergunta bastante diferente em comparação com “investir em Bitcoin é seguro?”. A resposta é depende, como invariavelmente é. 

Por ser bastante volátil, o Bitcoin não serve para muitos investidores e também muitos estômagos, já que grandes ganhos podem ir para o ralo em pouco tempo. Para exemplificar, a criptomoeda chegou a ter valor de US$ 17 mil no final de 2017. Hoje, menos de 18 meses depois, ela está em US$ 5,1 mil.

Porém, ao mesmo tempo que dá para falar da queda, pode-se falar da valorização. Menos de um mês antes de alcançar esse pico, a moeda valia US$ 7 mil e dois anos antes não chegava a US$500.

Ou seja, estamos falando de alta volatilidade que pode premiar de forma incrível caso você adote passos conservadores e muito bem pensados. Invista apenas uma parte de sua carteira nesse ativo. Com a possibilidade do CFD que citamos acima, você não precisa comprar uma unidade e ter que se preocupar com a segurança. Você pode comprar apenas uma pequena fração por um baixo valor e ver aonde te leva.

Caso dê retorno, continue, mas sempre mantendo sua segurança financeira em primeiro plano. Assim, as perdas não irão te machucar e os ganhos podem puxar seu retorno geral para cima.

Pensando e agindo dessa forma, com certeza vale apostar no Bitcoin e outras criptomoedas. E apresentaremos razões para isso abaixo.

Por que ainda vale a pena comprar Bitcoin e outras criptomoedas

Por mais que o preço tenha caído e a febre diminuído, todos os argumentos para o boom das criptomoedas ainda se aplicam. Elas continuam sendo o futuro das moedas. Cada vez mais empresas e estabelecimentos ao redor do mundo aceitam elas para fazer negócios. Desde saldo em casas de apostas, passando por ingressos para a NBA (melhor liga de basquete do mundo) até pizzas podem ser compradas com um Bitcoin.

A tecnologia do blockchain continua inovadora, com bancos e empresas de tecnologia usando elas para manter históricos de transações. Ela será cada vez mais difundida e sua segurança aumentada.

Com as fronteiras nacionais ficando cada vez mais diluídas e as moedas nacionais sendo totalmente controladas por burocratas e o humor dos governantes, uma moeda virtual que não tem essa regulamentação pode ter ainda mais espaço os próximos anos.

Claro, existem os riscos, os pontos fracos e os problemas que podem surgir – ataques que visem desestabilizar a moeda, por exemplo – mas esse não é um problema único do Bitcoin. E as inovações que ele traz para a mesa ainda são enormes.

A maior dúvida que existe na verdade é se o Bitcoin será essa moeda que irá derrubar todas as tradicionais ou se outra criptomoeda terá essa “honra”.  O Facebook não foi a primeira rede social, assim como a Apple não inventou o computador. E isso só cria uma nova oportunidade de investimento: achar a moeda virtual que ocupará essa posição.

Como escolher uma BTC bolsa e carteira virtual

Como é um assunto muito importante, vamos nos debruçar mais sobre como escolher uma BTC bolsa e formar sua carteira virtual sem ficar com segundas ideias e receios.

  • Uma pequena pesquisa em um buscador na internet já ajuda a clarear a ideia sobre uma Bitcoin Exchange que você tem na sua lista. Fóruns e sites como o nosso trazem informações como segurança da plataforma, métodos de pagamento, prêmios e certificados que importam muito a hora de escolher uma BTC bolsa.
  • Segundo, é importante que você dê uma olhada no site. Felizmente, várias das plataformas oferecem uma conta grátis e dinheiro para negociar.  E mesmo as que não oferecem esses recursos, é legal ver como funciona a plataforma.
  • Nada irá substituir sua experiência pessoal com o sistema, já que é você que terá esse contato direto para comprar, vender e analisar. Por isso, formule sua opinião própria. Mas antes disso, vá nas corretoras certas. Não escolha uma plataforma que não tenha o certificado de seguro do Google, que pode ser visto com o cadeado e a palavra seguro do lado da barra de endereços.
  • Prefira as corretoras que tem a chancela e regulação de entidades como a CySEC ou FCA, já que elas trazem a obrigação de seguir algumas boas práticas e protegem todos os lados envolvidos.
  • Ir atrás de informações como número de clientes e atuação em países também é importante, já que mostram que esta é uma empresa séria, de grande penetração e que se fosse fraudulenta, não teria chegado a esse tamanho.
  • Claro, existem empresas que abusaram da pirâmide e ganharam espaço no mundo inteiro. Por isso, sempre evite corretoras que prometem ganhos garantidos em um investimento onde isso não existe. Ninguém sabe com certeza para onde o Bitcoin irá e prometer retornos positivos dessa forma só pode ser um golpe.
  • E também evite empresas que não contam com um bom atendimento ao cliente. Quando não há uma loja física ou um gerente para reclamar, esses canais precisam estar bem abertos para solucionar dúvidas, resolver questões e até receber elogios e críticas.

A empresa online boa, no quesito atendimento, não é que a que não recebe críticas  ou apresenta falhas já que isso é basicamente impossível, mas a que não abre a comunicação e se esconde nesses momentos.

Por isso é muito importante ter um canal para solução rápida de questões (chat, aplicativo de mensagens, FAQ) e outro que dê para fazer maiores exposições e enviar arquivos se necessário, como email, formulário de contato e telefone.

Algumas das empresas que destacamos não têm grande presença no Brasil e por isso suas plataformas e canais de atendimento não são 100% em português. Por mais que isso não seja ideal, é entendível. Mas quando tiver essa atenção com os clientes brasileiros, nós iremos destacar como ponto positivo.

Perguntas Frequentes

É a primeira moeda que não é controlada por uma autoridade central, mas por criptografia. Por existir apenas na forma virtual, é também chamado de “dinheiro da internet”. Por ser descentralizada, seu funcionamento depende da aceitação consensual das duas partes envolvidas na operação de compra e venda e da tecnologia blockchain.
O conceito do bitcoin como criptomoeda foi publicado em 2009, e seu autor foi Satoshi Nakamoto, que ninguém sabe ao certo quem é até hoje. Mas a ideia de uma criptomoeda data de 1998, e foi descrita na lista de discussão “cypherpunks”, por Wei Dai.
Resumindo, o bitcoin é uma moeda que não existe no mundo físico e não é controlado por nenhum governo ou banco central, mas por um intrincado sistema de blockchains, que garante a idoneidade de suas operações. Seu preço é “regulado” pelo mercado, ou seja, por sua oferta e procura.
Com o crescimento do interesse nas criptomoedas, aumentou o número de fraudes e golpes envolvendo um conceito ainda não muito difundido e comprrendido pela sociedade. Por isso, sempre que alguém prometer ganhos garantidos acima de uma média aceitável, certamente é fraude. E, no Brasil, temos visto diariamente esquemas fraudulentos envolvendo criptomoedas.

A esperança, originalmente, que a longo prazo o bitcoin (e outras criptomoedas) substituíssem o dinheiro físico e as operações bancárias tradicionais, mas, ironicamente, o que impede o bitcoin de ser uma moeda de uso diário é a tecnologia.
Enquanto o número máximo de operações que a rede bitcoin é capaz de processar é de 7 transações por segundo, a gigante dos cartões Visa é capaz de chegar a 24 mil transações por segundo.
Como consequência disso, quando muitas operações tentam ser feitas simultaneamente, elas criam uma fila. No início de 2018, mais precisamente no dia 23 de janeiro daquele ano, o tempo de uma transação chegou ao tempo recorde de 11.453 minutos, o que dá quase 8 dias. A solução encontrada para “furar” essa fila foi começar a pagar taxas maiores para fazer as transações mais rapidamente, e as taxas chegaram aos US$55, o que inviabilizava pequenas transferências.
Passado esse período de loucura, as coisas estabilizaram e agora as transações levam entre 10 e 30 minutos e o custo de cada uma está na faixa de US$1. Mas isso fez com que o interesse de muitas companhias que aceitavam criptomoedas deixassem de fazê-lo. Entre elas, Dell e Steam.
Hoje é possível, com bitcoins, fazer depósitos em casas de apostas, comprar relógios Hublot, fazer compras em alguns sites (principalmente os que operam com Shopify e Etsy), comprar passagens aéreas, celulares da Exodus, entre outras coisas. No Brasil já há serviços e lojas que aceitam criptomoedas, e, aos poucos, o bitcoin, se não virou a panaceia que todos esperavam, torna-se, ao menos, algo mais do que um investimento como o ouro, por exemplo.

Comprar as criptomoedas é um processo bastante simples. Mas, para isso, deve-se encontrar uma corretora bitcoin (bitcoin exchange, em inglês) confiável, da melhor reputação, e investir na segurança do seu computador e internet.
Se alguém fizer promessas de ganhos garantidos, fuja. Como todos os investimentos, não é algo 100% seguro. Se alguém ganha, alguém tem que perder. Em um mercado autorregulado como o das criptomoedas, a volatilidade é altíssima, e grandes perdas, assim como grandes ganhos, são algo constante.

Sim, e o Governo atua para regulamentar as operações, o que significa que é obrigatória a declaração de transações envolvendo criptomoedas à Receita Federal. O Projeto de Lei 2303/2015 tramita na Câmara Federal, mas ainda está em fase de debates e audiências públias para esclareimentos.
Mas, sim, o Bitcoin é permitido no Brasil, bem como transações com corretores bitcoin brasileiras ou internacionais, desde, é claro, que tudo seja informado à Receita Federal para o pagamento de impostos.

Sim, com certeza. Em 2019 houve uma explosão de denúncias de irregularidades em operações com criptomoedas à Comissão de Valores Mobiliários, a maior parte deles relacionada à falta de registro na CVM e ofertas irregulares no mercado de capitais.
Uma forma que algumas corretoras utilizam para amealhar uma quantidade significativa de investidores é por meio da garantia de lucro, com rendimento prometidos de 1% ao dia ou mais.
Como essa garantia simplesmente não existe, pois a flutuação de preços do bitcoin, tanto para cima, como para baixo, é gigantesca e imprevisível, essas corretoras criam pirâmides, ou esquema ponzi, em que os investidores iniciais cooptam mais pessoas a colocar dinheiro na operação, que fazem o mesmo, e assim por diante.
Essa injeção constante de dinheiro faz com que aqueles que estão no topo da pirâmide recebam seus ganhos às custas do investimento feito por quem entrou por último no esquema.
Com o passar do tempo, essa pirâmide não se sustenta e invariavelmente os donos do negócio param de efetuar os pagamentos porque o dinheiro simplesmente acabou.
Por isso, se alguém oferecer ganhos garantidos com bitcoin, ou qualquer outro investimento, seja em criptomoedas ou qualquer outra forma de rendimentos, corra para o outro lado.

Atualmente, o “top-3” das criptomoedas é formado pela trinca bitcoin, ethereum e litecoin.
Enquanto o bitcoin é, disparada, a mais conhecida e valiosa, o litecoin, como o nome diz, é uma versão “mais leve” do bitcoin, com tempo de processamento mais rápido, e criada com praticamente o mesmo código do bitcoin.

O ethereum também é baseado na tecnologia de blockchain, da mesma forma que o bitcoin e o litecoin, mas ele visa levar o blockchain e os “contratos inteligentes” que assina para tudo que possa ser programado.

Mas, como constantemente novas criptomoedas são lançadas no mercado e as que já existem sofrem valorizações, alterações e até desaparecem, este cenário pode mudar com o passar do tempo.

Com o boom da popularidade das criptomoedas, aproveitadores aparecem em todos os lugares. E, aparentemente, o Bitcoin Banco é uma empresa que surgiu nessa onda. Prometendo lucros muito acima do normal, desde maio de 2019 ela atrasa os saques e não honra seus compromissos, e em setembro de 2019 a Polícia Civil do Paraná informou, em matéria veiculada no Jornal da Globo, que há mais de 100 ações de clientes do banco que não conseguiram fazer o saque de suas criptomoedas.
O que levou a Globo a fazer a reportagem, além das reclamações dos clientes de que o Bitcoin Banco é fraude, foram as ações na Justiça, que começou a autorizar busca e apreensão de bens do grupo para pagar as dívidas.
E o “modus operandi” do GBB (Grupo Bitcoin Banco) ao encontrar dificuldades é o mesmo que todos os operadores de pirâmides financeiras: primeiro alegam um ataque hacker milionário, depois reformulam o site e anunciam um nova política de pagamento, que não é cumprida, e o ciclo se reinicia, com a empresa tentando ganhar tempo e não pagar as dívidas.

No dia 12 de setembro, o Conar, órgão que regulamenta a propaganda no Brasil, suspendeu os comerciais do Investimento Bitcoin que prometia lucros de 1% a 2% ao dia durante 300 dias. A empresa já é investigada pela CVM. A Câmara dos Deputados já aprovou requerimento para promover audiência pública para investigar a Investimento Bitcoin.
O site não responde às queixas dos clientes desde agosto de 2019, e a plataforma do Investimento Bitcoin apresenta várias falhas de segurança. Outro indício de que o Investimento Bitcoin é fraude é afirmar que trabalhar com marketing multinível (as famosas pirâmides).

Investigada desde 2018, a Minerworld é outra empresa que promete lucros exorbitantes com criptomoedas sem provas ou garantias. Em abril de 2019, o Brupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO) de Mato Grosso do Sul, onde fica a Minerworld, cumpriu mandados de busca e apreensão nas suas sedes.
Atualmente, a empresa abriu uma mineradora no Paraguai, e opera sem licenças.